Efeitos processuais no controle judicial de constitucionalidade - Alessandra Pignatari

62% OFF
R$81,00 R$31,00

 

SINOPSE DO LIVRO 

O estudo dos efeitos das decisões judiciais é tema conhecido dos processualistas, mas, nos domínios da jurisdição constitucional, ganha aspectos inovadores, polêmicos e pouco explorados pela ciência processual. Nesse contexto, o presente livro trata de quais são os efeitos que derivam do julgamento em que se exerce o controle de constitucionalidade brasileiro, como e quando se operam no processo, o campo pelos quais se estendem e a quem alcançam.
Tal exame se inicia com a análise de premissas conceituais e classificatórias do controle de constitucionalidade e com a busca de subsídios doutrinários sobre a classificação da sentença à luz dos efeitos que produzem. A investigação prossegue e toma por base as características processuais das decisões do controle difuso, incidental e concreto, de um lado, assim como as do concentrado, principal e abstrato, de outro. Os efeitos da “súmula vinculante” também foram estudados, inclusive, por intercalar – em sua sistemática – particularidades dos modelos abstrato e concreto de controle.
Para além de assuntos como o da retroatividade da decisão e o da “modulação de efeitos”, despontam, ainda, na obra: (i) assimilação da “repercussão geral” e da “súmula vinculante” como institutos que potencializam a eficácia das decisões; (ii) projeção de efeitos expansivos por meio de recurso extraordinário e do mandado de injunção; (iii) efeitos da declaração de inconstitucionalidade nas ações coletivas; (iv) papel do Senado Federal por conta da atribuição de efeitos erga omnes às decisões do STF; (v) efeito vinculante visto como fator de aproximação entre os sistemas de common law e civil law; (vi) características do denominado processo objetivo; (vii) a força obrigatória dos motivos determinantes do decisório; (viii) natureza dúplice, causa petendi aberta e a coisa julgada com atributo erga omnes nas ações de controle abstrato, entre outros. 
Os problemas de ordem processual que podem ocorrer em razão da interferência entre uma decisão do controle difuso e outra proveniente do modelo abstrato são analisados no último capítulo.  Considerações críticas encerram a obra.

 

 

APRESENTAÇÃO


ISBN:  978-85-67426-03-7

Páginas: 464

Formato: 16x23cm

Capa em brochura

Ano da edição: 2014

 

SOBRE A AUTORA

Alessandra Aparecida Calvoso Gomes Pignatari - É Mestre e Doutoranda em Direito Processual pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), possui o título de Especialista em Direito Processual Civil pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP/COGEAE) e é bacharel em Direito pela Universidade Estadual Paulista Julia de Mesquita Filho (UNESP). Participou do Programa de Aperfeiçoamento de Ensino da Universidade de São Paulo, realizando atividades de apoio à docência e à pesquisa no ensino jurídico, especialmente do Direito Processual Civil. É autora de artigos publicados em revistas e obras coletivas do segmento jurídico, além de colaborações veiculadas em seminários jurídicos realizados no Brasil e no exterior. Leciona Direito Processual Civil em cursos de graduação e de pós-graduação, além de ministrar palestras e seminários sobre temas relacionados a essa disciplina. É advogada em São Paulo.

 

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

1. CONTROLE JUDICIAL DE CONSTITUCIONALIDADE

1.1 Aspectos gerais: premissas conceituais e classificatórias do controle de constitucionalidade de constitucionalidade

1.2.1 Controle político e controle jurisdicional

1.2.2 Controles preventivo e repressivo; difuso e concentrado; incidental e principal (concreto e abstrato)

1.3 Características do controle judicial de constitucionalidade brasileira

1.3.1 Combinação de diferentes métodos de controle

1.3.2 Disciplina processual

1.3.3 Parâmetro e objeto

2. EFEITOS DAS DECISÕES JUDICIAIS: PREMISSAS CONCEITUAIS

2.1 Efeitos, eficácia e efetividade das decisões judiciais: distinção conceitual

2.2 Efeitos e conteúdo das decisões judiciais: aspectos conceituais e sua relação com a eficácia

2.3 Tipos de efeitos das decisões judiciais

2.3.1 Efeitos secundários

2.3.2 Efeitos reflexos

2.3.3 Outras denominações dos efeitos da decisão judicial

2.3.4 Classificação das sentenças (à luz do seu conteúdo e dos efeitos que produzem)

3. EFEITOS DAS DECISÕES NO MODELO DE CONTROLE DIFUSO-INCIDENTAL DE CONSTITUCIONALIDADE

3.1 Efeitos inter partes

3.1.1 Efeitos inter partes: sua repercussão sobre a norma questionada

3.1.2 Efeitos inter partes e as tendências acerca da eficácia subjetiva das decisões do controle difuso-incidental

3.2 Efeitos da Resolução expedida pelo Senado Federal

3.2.1 Ampliação da eficácia das decisões do STF na via difusa e o papel do Senado Federal

3.3 Eficácia temporal das decisões (efeitos ex tunc e ex nunc)

3.4 A teoria da modulação de efeitos temporais no controle difuso-incidental

3.4.1 Outras dimensões da modulação de efeitos no controle concreto

3.5 Incidente de arguição de inconstitucionalidade nos Tribunais (CPC, 480 a 482)

3.5.1 Aspectos gerais

3.5.2 Efeitos das decisões proferidas no incidente de arguição de inconstitucionalidade

3.5.2.1 Possibilidade de revisão das decisões plenárias proferidas no incidente de arguição de inconstitucionalidade

3.6 Repercussão das decisões do STF (tomadas em controle difuso-incidental) sobre outros feitos

3.6.1 Súmula vinculante e repercussão geral de questão constitucional

3.6.2 Repercussão geral de questão constitucional: aspectos conceituais e procedimentais

3.6.2.1 Efeitos da decisão que aprecia a repercussão geral de questão constitucional

3.6.3 A denominada “objetivação” do recurso extraordinário

3.6.4 Eficácia ampliativa dos efeitos das decisões do STF no controle concreto e stare decisis

3.6.4.1 Stare Decisis: principais contornos

3.6.4.2 Ampliação dos efeitos das decisões do STF no controle concreto, sua aproximação com o stare decisis e a dicotomia civil law - common law

3.7 Outros efeitos e discussões

3.7.1 Controle difuso-incidental de constitucionalidade no âmbito do recurso especial

3.7.2 Efeito uniformizador e preventivo geral

3.7.3 Efeitos do controle difuso-incidental exercido nas ações coletivas

3.7.4 Efeitos da declaração incidental de inconstitucionalidade por omissão

4. EFEITOS PROCESSUAIS DAS SÚMULAS VINCULANTES

4.1 Súmula vinculante: aspectos conceituais e sua relação com o controle judicial de constitucionalidade

4.2 Súmula vinculante e institutos similares do direito estrangeiro

4.3 O efeito vinculante da súmula do STF

4.3.1 Limites subjetivos do efeito vinculante da súmula do STF

4.3.1.1 Efeitos generalizantes

4.3.1.2 Alcance do efeito vinculante sobre os órgãos do Poder Legislativo

4.3.1.3 Alcance do efeito vinculante sobre os órgãos do Poder Judiciário

4.3.1.4 Alcance do efeito vinculante sobre órgãos decisórios não-pertencentes à estrutura do Poder Judiciário

4.3.2 Limites objetivos do efeito vinculante da súmula do STF

4.3.3 Aspectos temporais e modulação do efeito vinculante da súmula do STF

4.3.3.1 Outras dimensões da modulação do efeito vinculante da súmula do STF

4.4 Da comparação entre súmula vinculante e norma legal: principais repercussões processuais

4.5 Outros efeitos processuais da súmula vinculante

5. EFEITOS PROCESSUAIS NO CONTROLE CONCENTRADO, ABSTRATO E PRINCIPAL DE CONSTITUCIONALIDADE

5.1 Mecanismos processuais em que se exerce o controle concentrado, abstrato e principal

5.1.1 Aspectos gerais

5.1.2 “Processo objetivo”

5.2 Efeitos erga omnes

5.2.1 Previsão legal e fundamentos teóricos

5.2.2 Efeitos erga omnes e sua repercussão sobre a ótica da norma apreciada na ação do controle abstrato

5.2.3 Eficácia erga omnes agregada à coisa julgada material

5.3 Efeitos vinculantes

5.3.1 Previsão legal e controvérsias sobre o significado do efeito vinculante

5.3.1.1 Nossa posição sobre o significado do efeito vinculante

5.3.2 Alcance objetivo do efeito vinculante

5.3.3 Alcance subjetivo do efeito vinculante e consequências de seu descumprimento pelos seus destinatários

5.3.3.1 Descumprimento ou não-observância do efeito vinculante por seus destinatários e o cabimento de reclamação

5.3.3.2 Reclamação e mitigação do efeito vinculante

5.3.4 Compatibilidade do efeito vinculante com as decisões interpretativas do controle abstrato de normas

5.4 Alcance temporal das decisões

5.4.1 Efeitos ex tunc e ex nunc

5.4.2 Alcance temporal das decisões do controle abstrato sobre os atos jurídicos pretéritos

5.4.3 Alcance temporal da decisão de controle de inconstitucionalidade omissiva

5.4.4 Efeitos repristinatórios

5.5 Modulação de efeitos das decisões do STF

5.5.1 Dimensão temporal da modulação de efeitos

5.5.1.1 Constitucionalidade da modulação de efeitos

5.5.2 Outras dimensões da modulação de efeitos

5.5.2.1 Modulação de efeitos repristinatórios e o princípio processual da correlação entre sentença e pedido

5.6 Outros efeitos das decisões definitivas de mérito no controle abstrato

5.6.1 Efeitos do acolhimento e da rejeição do pedido na ADIn e na ADC, sob a ótica da coisa julgada

5.6.1.1 Indeferimento do pedido da ADIn e da ADC e a questão da natureza dúplice dessas ações

5.6.1.2 Propositura de nova ação de controle abstrato tendo por base uma mesma lei anteriormente considerada constitucional

5.6.1.3 Propositura de nova ação de controle abstrato com base em fundamentos diversos (e que existiam antes do trânsito em julgado da decisão primitiva)

5.6.2 Efeitos expansivos a preceitos normativos não-indicados na petição inicial da ADIn

5.6.3 Efeito uniformizador

5.7 Efeitos processuais das medidas liminares em ações do controle abstrato

5.7.1 Aspectos gerais

5.7.2 Efeitos erga omnes, vinculantes, ex nunc e repristinatórios

5.7.3 Outras discussões

6. CONVIVÊNCIA ENTRE AS DECISÕES DAS DIFERENTES MODALIDADES DE CONTROLE JUDICIAL DE CONSTITUCIONALIDADE

6.1 Impacto das decisões definitivas de mérito do controle abstrato de normas em relação aos processos individuais em andamento e sem sentença transitada em julgado

6.2 Impacto da decisão definitiva de mérito de controle abstrato em relação aos processos individuais com sentença transitada em julgado

6.2.1 Superveniente decisão do controle abstrato e o cabimento de ação rescisória

6.2.1.1 Cabimento de ação rescisória e a interpretação divergente dos Tribunais

6.2.1.2 O prazo para o ajuizamento da ação rescisória

6.2.2 Superveniente decisão do controle abstrato e outros mecanismos voltados para desconsiderar a sentença que contraria entendimento do STF

6.2.3 Superveniência de declaração de constitucionalidade ou de inconstitucionalidade e impugnação do título executivo judicial

6.2.3.1 Hipóteses de incidência dos artigos 475-L, §1º e 741, parágrafo único do CPC e o precedente do STF como pressuposto indispensável à impugnação

6.2.3.2 Precedentes do STF que servem de base para a aplicação dos artigos 475-L, §1º e 741, parágrafo único do CPC

6.2.3.3 Influência da eficácia temporal e subjetiva dos precedentes do STF sobre a aplicação dos artigos 475-L, §1º e 741, parágrafo único do CPC

6.2.3.4 O juízo rescisório e alcance dos artigos 475-L, §1º e 741, parágrafo único do CPC

6.3 Impacto da decisão de controle difuso-concreto sobre outros processos

6.4 Impacto das súmulas vinculantes em relação aos processos individuais em andamento e aos processos individuais com sentença transitada em julgado

6.5 Ponto de confluência entre decisão de controle abstrato e súmula vinculante

6.6 Impacto da decisão liminar do controle abstrato sobre outros processos

CONCLUSÃO

REFERÊNCIAS